O que somos

EME>>, Estúdio Móvel Experimental, é uma residencia móvel de pesquisa integrada em meio ambiente e sustentabilidade, entre arte, ciência e tecnologia. O projeto tem duas funções principais: seu design ser ecológico, isto é, desenvolver a máquina para que seja coerente ao meio ambiente e abrir espaço para artistas desenvolverem ações artísticas em sítios específicos. Este projeto é direcionado como uma plataforma interdisciplinar de pesquisa com foco na Mata Atlântica e sustentabilidade.

Os artistas e pesquisadores residentes no EME>> visitarão alguns municípios do estado do Rio de Janeiro também como festivais de arte, mídia e exposições. Uma de suas funções é alcancar público por meio de intervenções urbanas, publicações, documentação e interação utilizando plataformas de novas mídias como internet e redes sociais. Através deste projeto multidisciplinar pretende-se enfatizar a conscientização ambiental, histórica e artística do Estado do Rio de Janeiro.


EME >> Estúdio Móvel Experimental is a mobile residency working in a platform between art and science researching the natural environment and sustainability. EME >> has two main functions: as a customized camper van that is designed to be ecological, i.e., to adapt its machinery to the natural environment; and also as a mobile studio that can support facilities to explore the urban and natural environment, realize public/ live arts and educational events around the Guanabara Bay in the state of Rio de Janeiro. It opens space for artists and researchers to use the EME>> machine as a tool for communication and interface their work, the natural environment and the audience.



4 de nov de 2010

1a parte: Oficina | Uma conversa entre árvores

O EME>> chegou na Escola Camilo Castelo Branco as 7h, onde instalamos nosso espaço temporário de interação. Os alunos, em suas aulas de artes e ciências, vieram em grupos de 5 para uma sessão de apresentação, discussão e atividades que duraram em torno de 20 minutos para cada grupo.

Em cada sessão, Rachel apresentou os resultados do projeto de intercâmbio 'Dark Forest', e o desdobramento deste projeto com a atual proposta de pesquisa entitulada: "Uma Conversa entre Árvores". Utilizando tecnologias de celular e sensores ambientais para explorar dados ciêntíficos e a abstração visual destes dados, que torna o invisível visível. Um novo conceito foi apresentado para os grupos; 'sensores humanos', onde utilizamos nossos sentidos para medir o ambiente da floresta em torno de uma árvore. A partir destes resultados, estaremos criando uma série de composições vísuais em grupo amanhã. Poderemos comparar estas novas imagens aos criados pela tecnologia e ciência. As atividades realizadas esta manhã atingiram mais de 80 jovens, entre as idades de 12 a 14 anos.







Hoje foi um dia de trabalho muito especial, onde re-encontramos com os alunos que trabalharam comigo e Alissa Gottfried, entre Abril e Junho no projeto Dark Forest, que fizeram parte do intercâmbio com Rachel e Matt do Active Ingredient e a escola Djangoly Academy em Nottingham, a distância. Hoje as crianças conheceram Rachel pessoalmente pela primeira vez, e puderam aprofundar sua experiência e pesquisa sobre a Mata Atlântica, que exite tão próximo a esta escola, e a floresta temperada de Sherwood na Inglaterra, quase 10,000km de distância.





Ficamos especialmente felizes com a visita de Carmelita, educadora do NEA (JBRJ) que com Marcia colaborou conosco nas oficinas do projeto Dark Forest. Foi Carmelita e Marcia do Núcleo de Educação Ambiental do Jardim Botânico do Rio de Janeiro que nos apresentoum a esta escola, e as professoras Liane (Artes) e Cristiane (Ciências) que aceitaram trabalhar juntos no desenvolvimento de uma colaboração artístico, ciêntífico e educacional.





Gostaria de agradecer Moana Mayall, Bruno Rezende, Ricardo Reis, a Direção da Escola Camilo Castelo Branco (Ricardo, Roseli e Acciele) assim como os educadores no NEA (JBRJ) e os professores e alunos da Escola Camilo Castelo Brando por suas introduções, conexões, apoio e recepção maravilhosa.

Foi uma manhã muito produtiva e inspiradora para todos. Amanhã retornamos para a Segunda parte desta oficina que fecha esta primeira semana de produção do Active Ingredient no Rio de Janeiro.



Um comentário: